Cidades, Entretenimento, Política

As bizarrices das eleições municipais de 2016

São Paulo – A eleição municipal realizada no último domingo (2) resultou em uma série de bizarrices por todo o país. Além das celebridades, que tentaram se eleger, mas foram massacradas nas urnas, a Justiça Eleitoral da Paraíba confirmou a eleição de um presidiário como vereador da cidade de Catolé da Rocha, no interior do estado.

EXAME.com listou outros casos curiosos das eleições deste ano. Veja alguns deles abaixo:

Publicidade

Produtor de pornôs

O candidato a vereador mais votado de Maceió (AL) foi o cantor e produtor de filmes pornôs Anivaldo Luiz da Silva, o Lobão (PP), que recebeu 24.969 votos.

Essa foi a quarta vez que Lobão tentou entrar na carreira política.

Vitória a jato

O município de Ponte Alta do Norte, em Santa Catarina, foi o primeiro a eleger um prefeito nas eleições deste ano. O candidato Beto, do PMDB, recebeu 1.325 votos no último domingo.

O resultado da apuração foi divulgado às 17h12, poucos instantes após o fechamento das urnas.

Presidiário eleito

Ubiraci Rocha, candidato a vereador da cidade de Catolé do Rocha, no interior da Paraíba, foi eleito com 948 votos válidos – o sexto mais votado no município.

O problema, no entanto, é que o político do Partido Popular Socialista (PPS) está preso provisoriamente desde maio deste ano – ele é acusado de homicídio e de chefiar uma quadrilha de tráfico de drogas.

Eleições sem resultado

Na cidade de Jaguariaíva, no Paraná, o resultado das eleições não foi definido no último domingo (2). Isso porque os três candidatos que disputavam a prefeitura da cidade tiveram a sua candidatura indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A decisão ficará com a Justiça, que julgará os recursos até o dia 14 de outubro.

Desempate por idade

Nas eleições municipais deste ano, a disputa pela cadeira da prefeitura de Cariús, no Ceará, não foi decidida pelos votos, e sim pela idade. É isso mesmo.

Na cidade do Sul do Ceará os dois candidatos mais votados receberam o mesmo número de votos: 5.811 cada um.

Com o empate, o critério para o desempate foi a idade, segundo o artigo 110 do Código Eleitoral que diz: “Em caso de empate, haver-se-á por eleito o candidato mais idoso”.

Neste caso, quem garantiu o cargo público foi Iran (PSDB), de 46 anos, que desbancou o candidato do PMB, Nizo, de 41 anos.

Confusão com os nulos

A eleição em Foz do Iguaçu, no Paraná, terminou sem um prefeito eleito. O candidato Paulo Mac Donald Ghisi (PDT) recebeu 58.163 votos no último domingo, o que o consagrou como o político mais votado da cidade.

Contudo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indeferiu a candidatura de Mac Donald e contabilizou todos os votos como nulos. Quem ficou em primeiro lugar, apesar de ter sido o segundo mais votado, foi Chico Brasileiro (PSD), que somou 54.488 votos.

Caberá à Justiça Eleitoral definir se acatará ou não o recurso aberto por Mac Donald e proclamar o resultado sobre quem ocupará o cargo de prefeito de Foz de Iguaçu (PR).

Fonte: http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/as-bizarrices-das-eleicoes-municipais-de-2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

nine + 7 =